Fale conosco pelo WhatsAppFale conosco pelo WhatsAppEnvie uma mensagem

Hérnia de disco: sintomas, causas e tratamento

Fotos de cirurgias reais, originais de autoria do Dr. Barsotti.

A hérnia de disco é uma lesão na coluna que ocorre quando o núcleo do disco intervertebral se desloca, levando ao desenvolvimento de sintomas como dor nas costas

Caracterizada pelo deslocamento do disco intervertebral, a hérnia de disco é uma lesão que provoca dores nas costas e alterações de sensibilidade que podem se estender até a região dos membros inferiores. O problema ocorre com mais frequência na região lombar, embora também possa ser observado na porção cervical ou em qualquer outra área da coluna vertebral.

O termo “hérnia” significa projeção ou saída por meio de um orifício, ou fissura, enquanto o disco intervertebral é uma estrutura fibrosa e cartilaginosa que atua como amortecedor da coluna. A hérnia de disco, portanto, diz respeito ao desgaste dos discos intervertebrais — podendo levar ao extravasamento ou abaulamento da estrutura, o que prejudica sua função protetora de coluna e gera os sintomas de dor.

O que é o disco intervertebral?

O disco intervertebral é uma estrutura pouco vascularizada composta por um anel fibroso, núcleo pulposo e plataforma cartilaginosa. O corpo humano possui 23 discos localizados entre as vértebras da coluna, sendo que cada um deles possui tamanho, espessura e formato variável conforme o segmento vertebral em que se localizam. Ao todo, os discos são responsáveis por cerca de 25% do comprimento total da coluna.

A principal função dos discos intervertebrais é garantir o amortecimento do impacto sofrido pelo corpo, protegendo a coluna e a medula espinhal. Além disso, a estrutura permite melhor estabilidade e movimentação natural da coluna, uma vez que possibilita o deslizamento das vértebras. À medida que o organismo envelhece, ocorre uma desidratação natural e progressiva do disco — que vai se tornando menos eficaz na absorção do impacto.

O que causa hérnia de disco?

A maioria dos casos de hérnia de disco ocorre em decorrência do envelhecimento, um processo natural do organismo que leva ao enfraquecimento e rompimento da camada externa do disco intervertebral. O rompimento do anel fibroso faz com que o núcleo do disco seja projetado para fora, causando uma protuberância que faz pressão nas estruturas nervosas vizinhas.

Esta condição é a chamada hérnia de disco, que desencadeia uma resposta inflamatória que, geralmente, se manifesta por meio de dor. Além do processo natural de envelhecimento, podem ser apontadas como outras possíveis origens desta alteração:

  • Traumas (como quedas);
  • Doenças que afetam o tecido conjuntivo;
  • Doenças congênitas;
  • Herança genética;
  • Problemas mecânicos;
  • Levantamento de peso de forma inadequada;

Quais são os sintomas?

O principal sintoma da hérnia de disco é a dor na coluna, que pode se manifestar em diferentes intensidades e variar entre desconforto localizado ou que irradia para outras regiões do corpo — como pernas e braços. Além da dor, podem surgir outros sintomas que variam de acordo com a região em que a alteração se localiza.

Pacientes com hérnia de disco cervical, por exemplo, podem sentir dor no pescoço, redução da força em um dos braços e até mesmo dormência ou formigamento dos membros superiores. Quando a alteração está localizada na região da caixa torácica, pode haver perda de força nos membros inferiores, dor que irradia para as costelas e dificuldade para segurar a urina.

Quando a hérnia de disco está localizada na parte inferior da coluna, na região lombar, o paciente pode apresentar alterações no funcionamento do intestino e bexiga, além de perda de força nas pernas e sensação de dormência nos membros inferiores. A intensidade dos sintomas depende do comprometimento dos nervos da região afetada.

O que a hérnia de disco pode causar ao organismo?

A dor causada pela hérnia de disco pode ser de moderada a forte, muitas vezes se tornando incapacitante para o paciente. Uma vez que pode afetar a movimentação dos membros inferiores ou superiores, a alteração pode se tornar bastante prejudicial para a qualidade de vida e bem-estar do paciente, e o acompanhamento especializado é fundamental para que o indivíduo consiga realizar suas atividades cotidianas de maneira confortável.

Diagnóstico e tipos de hérnia de disco

O diagnóstico da hérnia de disco pode ser feito por meio da observação dos sintomas e realização de um exame físico, devendo ser confirmado por exames como tomografia computadorizada ou ressonância magnética. Essas avaliações são importantes também para identificar a localização exata da hérnia, o desgaste apresentado pelo disco intervertebral e o tipo de alteração que o paciente apresenta.

Há diversas formas de classificar uma hérnia de disco, sendo que as mais utilizadas são as que consideram a localização da alteração ou a quantidade de cartilagem afetada. No primeiro caso, o problema pode ser dividido entre cervical (quando afeta a região do pescoço), torácico (atinge a porção do meio das costas) ou lombar — afetando a parte mais baixa das costas.

Quando a classificação é feita de acordo com a quantidade de cartilagem deslocada, os tipos de hérnia de disco são:

  • Hérnia protrusa: trata-se do tipo mais comum, quando o núcleo do disco permanece intacto, mas há perda da forma oval do disco;
  • Hérnia extrusa: quando o núcleo do disco está deformado, formando uma gota;
  • Hérnia sequestrada: núcleo bastante danificado.

Tratamento: como aliviar a dor?

O tratamento da hérnia de disco é normalmente dividido em duas etapas. Na fase aguda, o objetivo principal é aliviar a dor e controlar os demais sintomas apresentados pelo paciente — o que pode ser feito por meio do uso de medicamentos analgésicos, anti-inflamatórios e relaxantes musculares. Durante esse período, também pode ser recomendado repouso moderado.

Na fase crônica, quando a crise de dor está controlada, é necessário evitar o surgimento de novas fases agudas. Isso pode ser feito a partir de fisioterapia, acupuntura, prática de exercícios adequados e melhoria da postura corporal. O tratamento sempre varia conforme o quadro apresentado pelo paciente e suas necessidades individuais, cabendo a um ortopedista especializado em coluna avaliar o caso e indicar a metodologia terapêutica mais adequada.

A cirurgia para tratar hérnia de disco é indicada para casos muito específicos, quando a condição é considerada grave e não houve melhora dos sintomas com uso de medicamentos e aplicação de outras terapias.

Para saber mais sobre hérnia de disco, entender suas opções de tratamento e sanar todas as dúvidas sobre o assunto, entre em contato e agende uma consulta com o Dr. Carlos Barsotti.

Fontes:

Dr. Carlos Barsotti

Hip Spine Center

Sociedade Brasileira de Reumatologia.