Fale conosco pelo WhatsAppFale conosco pelo WhatsAppEnvie uma mensagem

Cirurgia de hérnia de disco: como é feita e quais os cuidados?

Demostração de um hernia - Cirurgia de hernia de disco

O avanço nas técnicas para cirurgia de hérnia de disco garante procedimento menos invasivo, reduzindo o tempo de recuperação dos pacientes. Saiba mais sobre as indicações a seguir!

A cirurgia de hérnia de disco é recomendada para casos nos quais tratamentos menos invasivos, como medicamentoso ou fisioterapêutico, não foram capazes de aliviar os sintomas e promover qualidade de vida aos pacientes.

Isso significa que não são todas as pessoas diagnosticadas com a condição que são boas candidatas à cirurgia de hérnia de disco, sendo que inicialmente o ortopedista especialista em coluna fará uma avaliação a respeito da gravidade do caso, as chances de sucesso com tratamentos não invasivos e o comprometimento da qualidade de vida do paciente. Caso ele julgue que o procedimento pode trazer mais benefícios do que riscos, a intervenção é indicada.

Assim como em outras cirurgias, é importante que o paciente faça uma avaliação de saúde completa antes do procedimento, reduzindo riscos de complicações decorrentes de condições previamente instaladas.

Como é a cirurgia de hérnia de disco?

A cirurgia de hérnia de disco pode ser direcionada à cervical ou à lombar, o que influencia na técnica que será selecionada pelo cirurgião ortopedista. Além disso, atualmente estão disponíveis o método tradicional e opções minimamente invasivas.

Cirurgia de hérnia de disco tradicional

Nesse procedimento utiliza-se anestesia geral, e a cirurgia tem duração média de 2 horas. O cirurgião faz uma incisão na pele para acessar a região lesionada, o que resultará em uma cicatriz um pouco aparente.

Com acesso ao disco lesionado, o especialista faz a remoção total do disco e substituição por um disco artificial ou pode ser usado um material para unir as duas vértebras executando a função de junção entre elas que era então promovida pelo disco.

Cirurgia de hérnia de disco minimamente invasiva

Atualmente, também estão disponíveis técnicas de cirurgia de hérnia de disco minimamente invasiva, como a feita por via endoscópica, que tem como vantagem poder ser realizada apenas com anestesia local e sedação, além de incisões menores e duração de cerca de 1 hora — o que reduz o trauma cirúrgico e facilita o pós-operatório.

Nesses casos, pode ser usada a radiofrequência ou laser para remoção do disco lesionado e inserção do material artificial que irá substituir suas funções.

Qual o tempo de recuperação?

O tempo de recuperação da cirurgia de hérnia de disco varia de acordo com a técnica cirúrgica utilizada. Em geral, a melhora é mais rápida em pacientes que fizeram o procedimento minimamente invasivo devido ao menor trauma cirúrgico, redução dos sangramentos e menores chances de infecção.

Apesar disso, em ambas as técnicas o tempo de recuperação pode chegar a até 3 meses para um domínio melhor do paciente quanto aos movimentos corporais e cicatrização dos tecidos. Destaca-se ainda que os cuidados pós-operatórios vão depender do local operado, podendo incluir:

  • Hérnia de disco cervical: devem ser evitados movimentos repetitivos ou rápidos com o pescoço, evitar pegar peso por cerca de 2 meses, subir escadas ou desníveis lentamente e não dirigir por 2 semanas. Pode ser indicado o uso do colar cervical;
  • Hérnia de disco lombar: evitar ficar mais de uma hora na mesma posição e, dias após a cirurgia, iniciar leves caminhadas em casa, evitando obstáculos e desníveis. Não dirigir por um mês, usar um apoio para as costas e evitar relações sexuais por um mês.

Além desses cuidados, as recomendações pós-operatórias serão apresentadas pela equipe médica. A retomada de atividades mais pesadas, como a prática de atividade física, pode demorar mais tempo e exige autorização do médico, que levará em conta a evolução do quadro, bem como o tipo e intensidade do exercício.

Quais são os riscos?

A cirurgia de hérnia de disco só é recomendada para pacientes que não respondem satisfatoriamente a tratamentos menos invasivos, uma vez que o procedimento apresenta riscos, como:

  • Infecções;
  • Continuidade da dor na coluna;
  • Lesão de nervos da coluna;
  • Redução dos movimentos da coluna.

O receio de complicações mais sérias, como a paralisia, deve ser conversado com o especialista. No entanto, lesões permanentes desse tipo são extremamente raras e influenciadas diretamente pela gravidade do quadro.

Além disso, as chances de complicações são significativamente menores com um pré e pós-cirúrgico adequados e quando a cirurgia de hérnia de disco é conduzida por um cirurgião ortopedista experiente e especialista em coluna. Agende sua consulta aqui!

Fontes:

ITC Vertebral;

Revista Brasileira de Ortopedia.