Fale conosco pelo WhatsApp Fale conosco pelo WhatsApp

Escoliose tem cura? Saiba como tratar

A escoliose tem cura possível, e quanto mais precoce forem iniciados os cuidados, melhores as possibilidades

Muitos pacientes diagnosticados com desvio de coluna questionam se a escoliose tem cura. A condição pode apresentar-se em graus leves e pouco incômodos, mas também manifestar-se de forma mais grave, comprometendo a saúde e qualidade de vida dos pacientes.

A escoliose consiste em um desvio tridimensional da coluna, sendo possível observá-la quando o paciente está ereto e a coluna não é linear, apresentando desvios para direita ou esquerda em decorrência da rotação das vértebras. Saber se a escoliose tem cura e como é o tratamento dessa patologia, portanto, é fundamental para o encaminhamento médico adequado.

A escoliose tem cura?

É preciso destacar que a escoliose não tem cura, no entanto, um diagnóstico correto seguido de um tratamento específico às necessidades do caso permite a melhora significativa da condição e aumento da qualidade de vida do paciente.

Apesar da ausência de cura, existem diversos tratamentos possíveis para escoliose, promovendo amenização dos desvios da estrutura vertebral e também melhora dos sintomas, que podem incluir fortes dores, infecções, problemas respiratórios e emocionais e até mesmo a compressão de órgãos vitais.

Qual o tratamento mais indicado para escoliose?

A escoliose é uma condição complexa e, como tal, pode envolver condutas distintas para tratamento e amenização dos desconfortos para reverter o quadro, principalmente em casos mais leves.

Para definição do tratamento mais apropriado, o especialista considera uma série de fatores, como idade do paciente, flexibilidade, gravidade do desvio e grau da angulação. Levando essas questões em conta, a escoliose pode ser classificada em cinco graus que ajudam a determinar a abordagem médica.

Os principais tratamentos possíveis para escoliose são:

Tratamento conservador

O tratamento conservador é assim chamado porque se trata de uma abordagem paliativa para amenizar dores e desconfortos, sendo indicado, em geral, em associação com outras condutas.

Incluem-se nas técnicas usadas no tratamento conservador as práticas de Exercicios Especificos para Escoliose (Schroth)

Essa opção de tratamento não é unanime da comunidade médica e costuma ser recomendada para casos específicos, mas apenas quando um especialista determina os tipos de exercícios e cuidados realizados.

Fisioterapia

Para pacientes com grau de escoliose de 10-20 recomenda-se, geralmente, a realização de tratamento fisioterápico, com exercícios específicos para correção dos desvios vertebrais e eletroestimulação.

É fundamental que o plano de exercícios seja elaborado por um especialista, de acordo com as necessidades do paciente. A sequência também pode ser realizada em casa, conforme instruções do fisioterapeuta que deve revisar a adequação do plano periodicamente.

Colete ortopédico

Para casos de pacientes com escoliose variando entre 20 e 40-45 graus, pode ser recomendado o uso do colete ortopédico 3D (Boston 3D, Rigo Cheaneau, S4D) que deve ser usado continuamente, removendo-o apenas para banho e sessões de exercícios, conforme orientação profissional.

Existem diferentes modelos de colete que podem ser indicados de acordo com as necessidades do paciente. Em geral, as opções garantem o suporte apenas da coluna lombar, da lombar e torácica ou também da lombar, torácica e cervical.

Em quadros de grau de escoliose acima de 40-45, o colete que centraliza a coluna só é indicado para quando o tratamento cirúrgico não pode ser realizado.

Cirurgia

A cirurgia para correção da escoliose costuma ser indicada para pacientes com grau de curvatura igual ou superior a 40-45. Trata-se de uma abordagem complexa e altamente invasiva, mas necessária em casos mais graves.

O tratamento cirúrgico não é a primeira opção avaliada pelo especialista, sendo que em graus mais leves sempre serão buscados tratamentos menos invasivos para amenização do quadro.

Nos casos mais graves nos quais a cirurgia é realmente necessária, é fundamental buscar um médico cirurgião ortopedista especializado em coluna, garantindo melhores chances de resultados satisfatórios.

Apesar de muitas pessoas pensarem que a escoliose tem cura, a condição pode ser apenas controlada e amenizada, exigindo mudanças importantes nos hábitos do paciente para uma maior qualidade de vida. Entre em contato com o Dr. Carlos Barsotti e agende uma consulta para saber mais sobre o assunto.

Fontes:

Canal Escoliose, Coluna e Saúde – Dr. Carlos Barsotti;
Sociedade Brasileira de Coluna;
Sociedade Brasileira de Reumatologia.