Fale conosco pelo WhatsApp

Conheça quais riscos a cirurgia de hérnia de disco pode oferecer

imagem ilustrativa de uma hérnia de disco

Embora pequenos, existem alguns riscos que devem ser assumidos pelo paciente na cirurgia de hérnia de disco

O procedimento cirúrgico para tratar a hérnia de disco é indicado em casos em que a condição não foi atenuada com um tratamento não invasivo, à base de medicação e fisioterapia, ou quando há sintomas de perda de força ou sensibilidade. No entanto, os riscos da cirurgia de hérnia de disco existem, como em qualquer outra intervenção cirúrgica.

Dentre os riscos da cirurgia de hérnia de disco existentes, podemos citar a limitação da movimentação da coluna ou uma infecção pós-cirúrgica. Em geral, o tratamento é considerado seguro e eficaz, trazendo um baixo nível de risco, mas é preciso que médico e paciente conversem com clareza sobre a existência dos perigos antes de realizar o procedimento.

Como funciona a cirurgia de hérnia de disco?

Como se trata de um tipo de cirurgia na coluna, região considerada sensível por ter terminações neurológicas, é comum que os pacientes se sintam inseguros antes do procedimento e queiram saber sobre os riscos da cirurgia de hérnia de disco.

Os tipos de cirurgia podem variar, já que ela pode ser feita a partir da abertura tradicional da pele para chegar até a coluna, ou com a utilização de técnicas mais recentes e consideradas menos invasivas, com o auxílio de um microscópio.

A recuperação do paciente pode variar de acordo com a amplitude da lesão e tipo de procedimento adotado pelo médico. Sessões de fisioterapia costumam ajudar na reabilitação e na atenuação de sintomas, permitindo que o paciente regresse às suas atividades rotineiras em um tempo menor.

Riscos: cirurgia de hérnia de disco

Os riscos da cirurgia de hérnia de disco, embora existentes, são baixíssimos. É importante destacar que as possíveis complicações desse procedimento cirúrgico são:

  • Possibilidade de sangramento;
  • Persistência da dor na coluna;
  • Infecção pós-operatória;
  • Lesão de nervos ao redor da coluna;
  • Dificuldades na movimentação da coluna.

A existência dos riscos da cirurgia de hérnia de disco torna essa intervenção cirúrgica uma exclusividade para pacientes que sofram com sintomas fortes, ou quando não há resultado efetivo após tentativas medicamentosas e fisioterápicas.

Tipos de cirurgia de hérnia de disco

Existem dois tipos principais de cirurgia para a correção da hérnia de disco. A mais conhecida, e mais convencional, é realizada a partir da abertura da pele, com uma incisão, para chegar até a coluna.

O médico escolhe o local de acesso da coluna de acordo com a região mais próxima possível para chegar ao disco — que pode ser pela frente na hérnia cervical, ou pelas costas, na hérnia lombar.

A cirurgia é feita através de um acesso na pele para chegar até a parte lesionada. O procedimento é, comumente, feito com anestesia geral, e pode ser removido, parcial ou completamente, o disco intervertebral afetado. Na sequência, o cirurgião pode fazer uso de um material para unir as duas vértebras ou um artificial para substituir o disco que tenha sido removido.

Os riscos da cirurgia de hérnia de disco são ainda menores quando o procedimento é minimamente invasivo, fazendo uso de técnicas que proporcionam uma menor movimentação das estruturas da coluna. A cirurgia, aqui, é mais rápida e complicações como sangramento e infecção têm chances reduzidas.

As cirurgias minimamente invasivas mais comuns são a microcirurgia e a cirurgia endoscópica. A primeira consiste na manipulação do disco intervertebral com o auxílio de um microscópico cirúrgico, o que exige uma menor incisão na pele. Já a segunda alternativa é feita com inserção de pequenos acessos na cútis, trazendo um processo de recuperação mais rápido.

O pós-cirúrgico varia de acordo com a complexidade da metodologia escolhida pelo médico.

Saiba mais sobre a cirurgia de Hernia de Disco agendando uma consulta com o Dr. Barsotti.

Fontes:

Sociedade Brasileira de Coluna

Dr. Carlos Barsotti